Como prevenir acidentes mais comuns com crianças!

Criança é sinônimo de curiosidade e isso, às vezes, pode significar perigo. Logo quando começam a andar, as mãozinhas agarram qualquer coisa para se apoiar. É neste instante que os pais devem ficar atentos, pois qualquer descuido pode gerar um acidente.

Por isso, relacionamos algumas precauções que você pode tomar para evitar que os pequenos se machuquem:

  • Trânsito

De acordo com a legislação brasileira, até os 10 anos de idade as crianças

devem ser transportadas no banco traseiro do veículo automotivo, usando cinto de segurança. E, até os sete anos e meio elas precisam usar uma cadeirinha ou assento de elevação. Esses dispositivos, quando usados e instalados corretamente, reduzem em até 71% a chance de morte de uma criança em caso de acidente de trânsito.


Dicas de prevenção:

· Nunca saia de carro com crianças sem usar a cadeirinha ou o assento de elevação, nem mesmo para ir só até a esquina. Esteja sempre atento, pois muitas colisões acontecem próximas à área de destino e origem ou em ruas com baixo limite de velocidade;

· Só use a cadeirinha ou assento de elevação que possuam o selo do Inmetro ou a certificação americana ou europeia;

· Siga sempre o manual de instrução dos dispositivos de retenção veicular, certifique-se que eles são apropriados a idade da criança e que se adaptem adequadamente ao seu veículo;

  • Queimaduras no fogão

Um dos grandes perigos da casa está na cozinha: o fogão. Os casos de queimaduras domésticas são muito comuns. A maioria dos acidentes com queimaduras envolve crianças pequenas, que, por curiosidade e desaviso, mexem nas panelas que estão no fogão e acabam por virá-las sobre si.

Dicas de prevenção:

· Uma forma de evitar acidentes assim é sempre manter os cabos das panelas virados para dentro, desse jeito a criança não alcançará para puxá-las nem correrá o risco de passar por perto e bater no cabo da panela, derrubando-a.

  • Intoxicação com produtos de limpeza

Não são raros os casos em que crianças conseguem abrir a embalagem dos produtos e acabam por ingeri-los, intoxicando-se gravemente. Caso isso ocorra, a recomendação é ir com a criança imediatamente a um Pronto Socorro. Não se esqueça de que é importante levar, também, a embalagem do produto.

Dicas de prevenção:

· Sempre armazenar produtos de limpeza em lugares aos quais a criança e animais domésticos não tenham acesso, sempre no alto. Se isso não for possível, coloque trincos ou cadeados nas portas dos armários.

  • Quedas

As quedas representam a principal causa de atendimentos em serviços de emergência e de internações em crianças de zero a nove anos de idade. Dependendo da idade da criança, as consequências são muito diferentes, podendo ocasionar sequelas graves.


Dicas de prevenção:

· O ideal é que janelas tenham grades de proteção e que camas, sofás e cadeiras não fiquem próximos delas. Móveis, aliás, também oferecem riscos de lesões, por isso, vale a pena investir em protetores de quinas para deixar a criança segura. Escadas devem ser isoladas e as tomadas também devem ter protetores, já que crianças e bebês sempre querem tocar no que desperta a curiosidade deles.

  • Afogamento

O afogamento normalmente ocorre de maneira rápida e silenciosa. Pode acontecer em um breve momento em que a criança encontra-se sem supervisão. Em apenas dois minutos submersa, a criança perde a consciência. Após quatro minutos, danos irreversíveis ao cérebro podem ocorrer.

Por possuírem a cabeça mais pesada que o corpo, crianças com até quatro anos de idade ainda não têm força suficiente para se levantarem sozinhas e nem mesmo capacidade de reagir rapidamente em uma situação de risco.

Por isso, em caso de queda ou desequilíbrio, elas podem se afogar até mesmo em recipientes com apenas 2,5 cm de água.


Dicas de prevenção:

· Nunca deixe crianças sozinhas quando estiverem dentro ou próximas da água, nem por um segundo. Nessas situações, garanta que um adulto estará as supervisionando de forma ativa e constante o tempo todo;

· Ensine as crianças que nadar sozinhas, sem ninguém por perto, é perigoso;

· O colete salva-vidas é o equipamento mais seguro para evitar afogamentos. Boias e outros equipamentos infláveis passam uma falsa segurança, mas podem estourar ou virar a qualquer momento;


  • Engasgamento

Crianças menores de quatro anos estão particularmente mais vulneráveis a sufocamentos e engasgamentos, pois suas vias aéreas superiores (boca, garganta, esôfago e traqueia) são pequenas e, nessa fase, têm a tendência natural de colocar objetos na boca.

Ainda nessa idade, possuem pouca experiência em mastigar e engolir e seus dentes têm proporção menor que os de adultos, o que dificulta a mastigação apropriada dos alimentos.


Dicas de prevenção:

· Corte os alimentos em pedaços bem pequenos na hora de alimentar a criança;

· Não dê alimentos redondos e duros, como uvas, pipoca, cenoura crua e nozes para crianças;

· Ensine a criança a comer sentada e com a boca fechada. Isso ajudará a prevenir que a criança tente falar e comer ao mesmo tempo;