Aprendendo um pouco sobre Extintores

Já imaginou quantos incêndios poderiam ter sido evitados se os sistemas de combate a incêndio fossem mais levados a sério, se os usuários fossem devidamente treinados a agir em situação de perigo e se os extintores fossem instalados adequadamente e passassem por manutenções periódicas?

Você com certeza sabe o que é um extintor, mas você sabe como usar um? Conceitos básicos

Para iniciarmos nosso estudo, precisamos conhecer alguns conceitos fundamentais relacionados aos extintores, são eles: Agente extintor: Substância utilizada para a extinção da combustão, ou seja, para apagar o fogo. Os principais agentes extintores usados serão vistos mais adiante.

Extintor de incêndio: Aparelho de acionamento manual, constituído de recipiente ou cilindro e componentes contendo o agente extintor destinado a combater princípios de incêndio.

Princípio de incêndio: Período inicial da queima de materiais, compostos químicos ou equipamentos, enquanto o incêndio é pequeno.

Carga: Quantidade de agente extintor contida no extintor de incêndio, medida em litro ou quilograma.

Capacidade extintora: Medida do poder de extinção de fogo de um extintor, obtida em ensaio prático normalizado.

Unidade extintora: Extintor que atende à capacidade extintora mínima prevista, em função do risco e da natureza do fogo.


Classificação A classificação dos fogos é dada em função do material combustível e está compreendida nas classes abaixo. Fogo classe A: Fogo envolvendo materiais combustíveis sólidos, tais como madeiras, tecidos, papéis, borrachas, plásticos termoestáveis e outras fibras orgânicas, que queimam em superfície e profundidade, deixando resíduos. Fogo classe B: Fogo envolvendo líquidos e/ou gases inflamáveis ou combustíveis, plásticos e graxas que se liquefazem por ação do calor e queimam somente em superfície. Fogo classe C: Fogo envolvendo equipamentos e instalações elétricas energizados. Fogo classe D: Fogo em metais combustíveis, tais como magnésio, titânio, zircônio, sódio, potássio e lítio. Fogo classe K: Fogo envolvendo óleos e graxas de cozinha (gordura vegetal e animal).

E nem todos os extintores são iguais, existem tipos de extintores para cada classe de incêndio, os principais são:

H2O (água) – os extintores de água são exclusivamente para incêndios de Classe A e não podem ser usados em incêndios de classe B ou C.

CO2 (dióxido de carbono) – os extintores de dióxido de carbono podem ser usados em incêndios classe B e C.

Pó químico – os extintores de pó químico são utilizados em incêndios das classes B e C. Também são eficazes em incêndios classe A, mas o recomenda-se usar o extintor correto para cada classe de incêndio. ABC - O extintor de classe ABC além das classes B e C citadas também apagam a classe A: A (Pneus, plásticos e borrachas em geral). BC - O extintor de classe BC apaga dois tipos de classes de fogo: B (gasolina, óleos, álcool e diesel); C (ácidos inflamáveis, dispositivos e fiações elétricas)

Espuma – extintores de espuma podem ser utilizados em incêndios das classes A e B, por serem mais adequados para a extinção de incêndios líquido combustível. Proibido em incêndios de classe C.

NaCl (cloreto de sódio) – extintores de incêndio a base de cloreto de sódio são usados para extinção de incêndios da classe D. Não pode ser usado para extinguir fogo provocado por Lítio (Li). CH3CO2K (acetato de potássio) – extintores de acetato de potássio diluído em água são utilizados em incêndios classe K.


O uso do extintor incorreto pode provocar diversos problemas

É importante que o uso do extintor seja de acordo com o tipo de incêndio para que a medida tomada seja a mais eficiente no combate à chama.

Dentre os tipos de extintor de pó químico, há vários modelos. O mais completo e importante é o extintor ABC, porque pode ser usado para combater qualquer tipo de incêndio, ou seja, não se faz necessária a identificação do material a ser queimado, basta acionar o extintor.

A manutenção e recarga de extintores é de extrema importância para que o equipamento esteja em boas condições de uso, caso tenha de ser acionado. Todos os extintores de incêndio devem ser recarregados após o seu acionamento, e o de dióxido de carbono deve ser inspecionado semestralmente e recarregado, caso seja necessário. Para realizar o serviço, pode ser contratada uma empresa de manutenção e recarga de extintores autorizada e certificada pelo Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia).


A distribuição dos extintores também deve ser feita de forma cuidadosa

A eficácia do combate ao incêndio não depende somente do tipo de extintor de incêndio, mas também da sua disposição na edificação.

A distribuição dos extintores de incêndio varia de acordo com o risco, da área, do local e da distância a ser percorrida para que sejam alcançados.

De modo geral, as indicações para a colocação dos extintores é que seja um lugar de fácil acesso e localização, onde haja menor probabilidade de que o fogo bloqueie seu acesso, não devem ser dispostos nas paredes das escadas, não devem ser encobertos por pilhas, e os extintores sobre rodas devem ter livre acesso a qualquer local do edifício.

A segurança no trabalho é um direito que deve ser respeitado. Além das especificações sobre a disposição dos extintores de incêndio e seu uso, muitas empresas investem em treinamento guiado pelo corpo de bombeiros para que os funcionários estejam capacitados para lidar com situações de incêndio no edifício, ajudando a prevenir ocorrências graves que ponham em risco a vida dos trabalhadores.